Segunda-feira, 25 de Junho de 2007

Musica fornicada que dá pra tudo

Eu hoje, não me perguntem porque, mas venho praqui rabiscar sobre uma musica, brasileira, que dá para ter o significado de quase tudo o que se passa no nosso país. Eu ainda sou daqueles que penso que as musicas tem sgnificado, que querem passar uma certa mensagem. A musica chama-se Aquarela, é de um cantor chamado Toquinho, do qual eu só conheço mesmo esta musica. Podem ver e ouvir a musica no link abaixo (não tem virús, estão a vontade):

http://www.laboratoriodedesenhos.com.br/aquarela.htm (esta muito fixe)

ou então procurar o youtube por aquarela, ou por toquinho.

Mas voltando a minha estupidez que esta musica dá para muitas situações, ou tenta retratar muitas situações. Comecemos pela letra da musica original, para quem não foi ao site ouvi-la:

 

"AQUARELA - Toquinho

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo

E com 5 ou 6 retas é facil fazer um castelo

Corro um lápis em torno da mão e me dou uma luva

E se faço chover com dois riscos tenho um guarda-chuva

Se um pinguinho de tinta cair num pedacinho azul de papel

Num instante imagino uma linda gaivota a voar no céu.

Vai voando, contornando a imensa curva Norte e Sul

Vou com ela Viajando Havaí, Pequim ou Istambul

Pinto um barco a vela branco navegando,

É tanto céu e mar num beijo azul

Entre as nuvens vem surgindo um lindo avião rosa e grená

Tudo em volta colorindo, com suas luzes a piscar

Basta imaginar e ele está partindo, sereno e lindo

E se a gente quiser ele vai pousar.

Numa folha qualquer eu desenho um navio de patida

Com alguns bons amigos bebendo de bem com a vida

De uma América a outra consigo passar num segundo

Giro um simples compasso e num circulo eu faço o mundo

Um menino caminha e caminhando chega no muro

E ali logo em frente a esperar pela gente o futuro está

E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar

Não tem tepmo nem piedade , nem tem hora de chegar

Sem pedir licença muda nossa vida,

E depois convida a rir ou chorar.

Nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá

O fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai dar

Vamos todos juntos numa linda passarela

De uma aquarela que um dia enfim

CESCOLORIRÁ

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo, que descolorirá

E com 5 ou 6 rectas é facil fazer um castelo, que descolorirá

Giro um simples compasso e num circulo eu faço o mundo, que descolorirá"

 

Isto foi a musica original para quem nao viu o link. Agora como podem perceber esta musica encaixa prefeitamente para demonstrar o apito dourado, por exemplo:

 

Num envelope qualquer eu coloco dinheiro lá dentro

E com 5 ou 6 moças é facil comprar um encontro

Chamos os árbritos a casa e lá dou-lhes um cafézinho

E se se armam em caros ainda levam no fucinho

Se um pingo de tinta contar isto num jornal

Num instanto imagino uma linda história para os enganar

Vai voando, a mentira corre tudo no futebol

Vou com ela viajando, na europa do futebol

E num barco a vela branco navegando,

É tanta céu e mar num negócio azul

Entre as moças, vai surgindo um lindo avião meia despedia

Tudo em volta colorindo, com suas mamocas a baloiçar

Basta lhe pedir e ela esta no meu colo, cheirosa e linda

E se eu quiser pra cama a vou levar.

Numa folha qualquer eu escrevo um bilhete pra ela

Com alguns bons amigos vamos ganhar mais campeonatos

De uma américa a outra o calheiros passa num segundo

Passo um novo cheque e num instante ganho um campeonato

A menina caminha e caminhando chega no muro

E ali logo em frente a esperar por ela o orelhas está

E o orelhas paga para ela escrever um livro

Inventar pra relatar o que queria ter vivido

Sem pedir licença chega a Morgado,

E depois começa a perguntar

Este processo nunca mais vai chegar a lado nenhum

O fim dele ninguem sabe bem ao certo qual vai ser

Vamos todo para a mesma cela

De uma esquadra e um dia enfim

Existirá

Num envelope qualquer eu coloco dinheiro lá dentro, que existirá

E com 5 ou 6 moças é facil comprar um encontro, que existirá

Passo um novo cheque e num instante ganho um campeonato, que existirá

 

Mas isto nao serve só para o caso do apito dourado ou casos desportivos.

Vou agora demonstrar que isto serve tambem para demonstrar a evolução na vida de um homem:

Quando era pequeno tudo era como o sol amarelo

E com 5 ou 6 rectas era fácil fazer um castelo

Correr pela rua, jogar e brincar à chuva

Nada me importava e nunca usava guarda-chuva

Se um pinguinho de tinta cai-se num pedacinho verde de papel

Num instante imaginava uma bola a rolar para um golo meu

Vai rolando e o tempo vai passando sem avisar

E com ele os nossos sonhos vao começando a mudar

Já nao sou mais pequenino e brincalhao

Ja fui crescendo e aprendendo

Entre as colegas, vai surgindo uma que me faz enamorar

Tudo em volta nao interessa, é com ela que quero ficar

Mas imaginar e tamos no altar, é tudo tão lindo

Mas tudo acaba, mas hei de me casar

Numa noite qualquer, numa cama com a minha amada

Com alguns carinhos formamos uma nova vida

De um momento a outro é rapido e passa num segundo

E num hospital nasce o meu novo mundo

O menino aparece e eu chego a um muro

E ali logo em frente a esperar pela gente o futuro está

O futuro é um rapaz que tentamos educar

Nao tem tempo nem piedade, nem instruçoes para ajudar

Cresce namora e casa num instante

e depois um neto nos vai dar

Nesta vida não sabemos conhecer ou ver o que virá

O fim dela ninguém sabe bem ao certo como vai ser

Vamos todos juntos tentando educar

E num momento ficamos assim

Velho e solitário

Quando era pequeno tudo era como o sol amarelo, velho e solitário

E com 5 ou 6 rectas era fácil fazer um castelo, velho e solitário

E num hospital nasce o meu novo mundo, velho e solitário

 

 

Mas esta musica serve tambem para explicar uma noite de copo com os amigos que acaba numa gravidez menos desejada:

Numa noite de copos saimos todos aos molhos

E com 5 ou 6 jolas já quase nao abria os olhos

Andei toda noite em torno da loira de mini-saia

E a tudo o que dizia a loira só sorria

 

Um toquezinho aqui um apalpao acola

Quando dei por ela já eram 6 da manha

 

Fomos juntos, a cantar rua fora até casa

Abraçados numa noite em que parecia ventosa

De um lado a outro iamos andando, podres de bebedos

E quase a cair, a casa chegamos

 

Entre as pernas encontrei uma gruta para explorar

Tudo em volta bem cuidado, parecia saltitar

Basta imaginar o que la fizemos, toda a noite

E só meses depois é que percebemos

 

Num tubinho qualquer apareceu o veredito

Quando vi aquilo fiquei com os olhos em bico

Ela estava gravida, mas seria que era eu

Um teste de adn num instante tudo resolveu

 

Era pai e nao queria acreditar

Como podia eu eskecer de a borracha usar

 

E o futuro que eu tinha planeado como vai ser

O miudo apareceu ser ter hora já marcada

Sem pedir licença alterou a minha vida

Agora mudada em pról da dele

 

Esta história não sei bem como é que vai acabar

O pequeno não tem culpa das asneiras que fizemos

Vamos tentar que ele seja feliz

De uma maneira que eu tambem fui

Obrigado son

 

 

Numa noite de copos saimos todos aos molhos, obrigado son

E com 5 ou 6 jolas já quase nao abria os olhos,obrigado son

Um teste de adn num instante tudo resolveu, obrigado son

 

Já não vos masso mais com tanta estupidez. Prá proxima escrevo sobre outra coisa.

Beijinhos e abraços e muitos palhaços

sinto-me: dahhhh!!!!

publicado por sensei às 11:34
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Agosto 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Musica fornicada que dá p...

.arquivos

. Agosto 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.tags

. todas as tags

.links

.Contador

letras de canciones
SAPO Blogs

.subscrever feeds